30 de abr de 2014

Novos recursos do Facebook prometem mais privacidade no uso de aplicativos

Mark Zuckerberg, diretor-executivo do Facebook, anunciou nesta quarta-feira (30) novos recursos que prometem dar mais controle sobre as informações que os usuários compartilham online. As novidades foram apresentadas no evento para desenvolvedores F8, realizado pelo próprio Facebook na Califórnia (EUA).
Chamadas Facebook Login e Anonymous Login (login anônimo), essas ferramentas serão implementadas em aplicativos (programas) associados à maior rede social do mundo. A empresa não especificou uma data de lançamento, mas disse que as novidades devem estar disponíveis nos próximos meses.
A primeira alternativa (Facebook Login) é para casos em que a pessoa quer usar algum serviço logando-se com sua conta do Facebook (assim, não é necessário criar um cadastro). Na nova versão do login, o usuário visualizará uma tela, na qual poderá escolher quais informações vai compartilhar com o aplicativo (lista de amigos, data de aniversário e e-mail, por exemplo). 
Além disso, o recurso impedirá que o programa poste qualquer coisa no Facebook sem sua permissão. "Sabemos que muitos têm medo de apertar este botão", disse Zuckerberg, ao apresentar a novidade, referindo-se ao ícone azul com os dizeres "login with Facebook". "As pessoas querem mais controle na forma como compartilham informações, especialmente quando se trata de aplicativos."
Segundo o Facebook, o recurso que que dispensa cadastros e utiliza os dados da rede social para acessar sites ou aplicativos foi usado 10 bilhões de vezes.
Reprodução
Facebook Login permite escolher quais dados vai compartilhar com o aplicativo
Já a ferramenta de login anônimo permite que o usuário teste o aplicativo, sem que o programa o identifique (o perfil na rede social será usado, mas nenhum dado será repassado). "As pessoas podem decidir depois se querem compartilhar alguma informação adicional, quando souberem mais sobre aquele aplicativo", diz o material de divulgação da empresa. 
Esse compartilhamento de dados do Facebook com aplicativos causou polêmica no ano passado, quando diversos usuários tiveram suas informações publicadas no Lulu (rede social para mulheres avaliarem homens), sem nunca terem se cadastrado no serviço. Essas informações haviam sido "puxadas" da lista de amigos das usuárias.

Na ocasião, o MPDFT (Ministério Público do Distrito Federal e Territórios) chegou a instaurar um inquérito civil público contra o Facebook e a Luluvise Incorporation (desenvolvedor do Lulu), sob suspeita de "ofender direitos da personalidade de milhões de usuários do sexo masculino". Depois de muita polêmica, o Lulu deixou de funcionar no Brasil. 

Novidades para desenvolvedores

Durante o evento, a rede social anunciou novas possibilidades para o desenvolvimento de aplicativos. Numa delas, a companhia planeja permitir a possibilidade de criar softwares móveis que funcionam sem conexão à internet.
Para facilitar o download de aplicativos da web em aparelhos móveis, o Facebook passará a permitir que ao instalar um aplicativo na web em seu perfil (por exemplo, o serviço de streaming de música Rdio), o usuário receba um link para download da versão móvel do programa. 
Outra iniciativa apresentada é a Applinks. Com ela, o Facebook quer fazer com que os usuários, ao clicar em um link, sejam direcionados ao aplicativo apropriado para abrir aquele conteúdo.
Durante a apresentação foi dado como exemplo o Soundcloud (serviço que permite armazenar músicas na internet). Ao clicar em um link do serviço em um smartphone, é aberta uma página web, em vez do aplicativo que oferece uma experiência completa. "Trabalhamos nisso, pois vai aumentar o engajamento dos usuários no uso de aplicativos", disse Ime Archibong, diretor de produto do Facebook.
A rede promete novas formas de compartilhar conteúdo. O botão curtir, por exemplo, vai ser adaptado para versões móveis dos sites. Outra opção é por meio de mensagem instantânea.  Ao acessar a opção compartilhar do aplicativo, o Facebook permitirá enviar uma notícia diretamente para os contatos da rede pelo Messenger.

Fonte: Uol Tecnologia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visitas recentes